‘Ciclone bomba’ provocou o maior dano da história na rede elétrica do estado, diz Celesc


Na terça (30), mais de 1,5 milhão de imóveis ficaram sem luz. Recomposição total do sistema pode levar até três dias. Tempestades causaram estragos na rede elétrica da Celesc
Os danos causados pelo fenômeno ‘ciclone bomba’ na terça-feira (30) à rede elétrica foram os piores da história do estado, informaram as Centrais Elétricas de Santa Catarina (Celesc). Mais de 1,5 milhão de imóveis chegaram a ficar sem luz e a previsão é que a situação seja até 80% resolvida ainda nesta quarta (1º). A recomposição total do sistema, porém, deve levar de dois a três dias.
O que é o ‘ciclone bomba’ que está causando estragos

Os ventos passaram dos 100 km/h em algumas regiões do estado e árvores, postes e placas caíram sobre a rede elétrica, afetando a distribuição de energia. Cerca de 1.300 pessoas divididas em 300 equipes trabalham para recuperar o sistema, mas como a atividade exige a retirada de material pesado das redes, a previsão é que as ações sejam estendidas em alguns dias em determinadas localidades.
“Sempre tivemos algumas ocorrências, algumas situações graves como um ciclone, um tornado, mas sempre localizado numa região. Desta vez não, tivemos a situação mais grave da história da Celesc. Em todo o estado de Santa Catarina nós tivemos ocorrências. Tanto que chegamos a 1,5 milhão de consumidores fora. Foi o nosso recorde negativo”, disse Sandro Levandovski, diretor de distribuição da Celesc, em entrevista ao Jornal do Almoço.
Conforme a Celesc, o rompimento do cabo de fibra ótica da Oi, o sistema de telecomunicação da empresa e de outras distribuidoras que atendem o Sul do país, foi atingido e por essa razão não foi possível identificar os locais com defeito na rede de distribuição, atrasando os trabalhos. O problema foi resolvido na manhã desta quarta.
Queda de árvore na rua Trompowsky, em Florianópolis

Até as 15h10 desta quarta, 555,1 mil unidades consumidoras ainda estavam sem energia elétrica. A orientação é que as pessoas fiquem em casa e não se aproximem de locais perto da rede elétrica.
“Independentemente de ter voltando a energia ou não, qualquer cabo no chão deve ser sempre considerado como energizado, por questão de segurança. Porque o rompimento de condutores é algo que acontece com uma cerca facilidade durante esses ciclones, vendavais, porque muitos objetos são lançados na rede. Isso acaba rompendo o cabo, ele fica no chão. Então, na dúvida, por segurança, considere sempre energizado. Fique longe da rede”, disse Levandovski.
Cobertura ficou destruída com a tempestade em Governador Celso Ramos

‘Ciclone bomba’
Ao menos 10 pessoas morreram na região Sul do país em função do fenômeno, sendo nove em Santa Catarina e uma no Rio Grande do Sul. Durante a madrugada desta quarta, os ventos chegaram a 90 km/h. Na terça (30), a ventania e tempestades provocaram estragos em todas as regiões.
Conforme levantamento da Defesa Civil estadual, somente em Santa Catarina 101 municípios tiveram danos. Ao menos duas pessoas seguem desaparecidas.
Ciclone bomba afeta clima no Sul e no Sudeste; veja 5 curiosidades sobre esse fenômeno

COM AGÊNCIAS

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line