O Comitê de Datação de Ciclos Econômicos (Codace), ligado à Fundação Getulio Vargas (FGV), considerou que o Brasil entrou em recessão
no primeiro trimestre do ano, encerrando um período de 12 trimestres seguidos de expansão.

“O Comitê identificou a ocorrência de um pico no ciclo de negócios brasileiro no quarto trimestre de 2019. O pico representa o fim de uma expansão econômica que durou 12 trimestres — entre oprimeiro trimestre de 2017 e o quarto de 2019 — e sinaliza a entrada do país em uma recessão
a partir do primeiro trimestre de 2020″.

O IBGE havia mostrado no início de junho queda de 1,5% no Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre frente ao pico identificado pelo comitê no quarto trimestre, a maior queda desde o segundo trimestre de 2015. Mas o comitê considera um conjunto de indicadores para estabelecer o início de um período recessivo
ou de expansão.

O comitê também considerou o último período recessivo antes
da pandemia como o mais longo em meses desde que há dados para datação dos ciclos. A economia brasilleira retraiu por 33 meses seguidos,
tempo superior aos 30 meses de recessão entre 1989 e 1991, quando o Plano Collor determinou o confisco.

O Codace é um comitê criado em 2004 pela FGV com a finalidade de determinar uma cronologia de referência para os ciclos econômicos
brasileiros, estabelecida pela alternância entre datas de picos e vales no nível da atividade econômica e é formado pelos economistas Affonso Celso Pastore (coordenador), Edmar Bacha, João Victor Issle, Marco Bonomo, Paulo Picchetti, Fernando Veloso e Vagner Ardeo.